Manuel, homem de fé, com bondade e paciência, soube exercer seu trabalho pastoral. Reativou o apostolado, realizou um fecundo trabalho com as crianças, abrindo uma escola gratuita. De espírito humanitário trabalhou pelo bem da cidade e do seu povo: constrói uma olaria, hotel e, com a ajuda da comunidade, construiu casas para os sem-teto de Nonoai. De preocupação inovadora, introduziu o cultivo de novos produtos junto aos agricultores de sua região. Incansável propagador da paz fez ecoar sua voz por todos os cantos: "Peço a Deus que isto que se está dando em nosso Estado cesse quanto antes e venha uma paz para ambos os partidos".(Carta ao Bispo de Santa Maria, D. Atico Eusébio da Rocha, datada de 18 de julho de 1923).

Adílio, testemunho leigo, deixou-se seduzir pelo Senhor e colocou-se a serviço de seu Altar redentor. Vítima inocente de uma época de violências mostrou sua coragem e sua fé. Um exemplo de zeloso cuidado com as coisas de Deus. Nele nossos adolescentes e jovens devem buscar a inspiração para seus ideais.

E, por fim, poderíamos dizer que "destruíram os corpos, mas continua a seiva viva do testemunho a correr nas pessoas que conheceram e que creem no projeto dos dois mártires’".

Os Beatos Manuel e Adílio

O Padre Manuel Gómez González é espanhol de nascimento. Exerceu seu ministério sacerdotal em sua diocese natal até 1904, quando passou para a vizinha diocese de Braga, em Portugal Por causa das perseguições política à Igreja em Portugal vem para o Brasil. Primeiro na arquidiocese do Rio de Janeiro, por trinta dias, depois veio para a diocese de Santa Maria/RS, onde foi vigário coadjutor na paróquia de Soledade. Por fim, é nomeado pároco de Nonoai. Aqui encontrou um período cultural muito violento.

Desenvolveu seu trabalho para superar os conflitos e consolidar a paz, pregava a mudança de vida e o perdão, organizando sua paróquia no âmbito religioso, promovendo obras sociais, ajudando as famílias que sofriam violência e atuando na educação escolar. Por causa de sua atuação em nome da fé, foi vítima da violência que queria superar.

Adílio Daronch era um jovem, filho de um emigrante italiano que se radicou em Nonoai, que aos quinze anos perdeu o pai assassinado por causa dos conflitos violentos daquela época. Desde criança colaborava nas celebrações que o Pe. Manuel realizava na paróquia de Nonoai. Pela grande extensão da paróquia o padre necessitava viajar muitos dias para atender a demanda do povo. O jovem Adílio o acompanhava atuando como coroinha. Quando estava chegando a uma comunidade onde hoje é a cidade de Três Passos, foi assassinado ao lado do Pe. Manuel em uma emboscada.

Além deste motivo de ordem histórica há uma razão de modelo para a juventude. O jovem Adílio assumiu os riscos daquela viagem, pois o padre já há tempo recebia ameaças de morte, caso não mudasse sua pregação e ação. Apesar disso enfrentou a situação. Ele torna-se um modelo para a juventude de coragem, de ideais, de ousadia.

Dentro da Igreja Católica o coroinha Adílio é o primeiro jovem brasileiro a ser elevado ao altar. A divulgação e conhecimento dos Beatos Manuel e Adílio é necessária para a conclusão do processo de canonização, quando serão declarados santos.

Os Beatos Manuel e Adílio

Servos de Deus

O Padre Manuel Gómez González é espanhol de nascimento, onde exerceu seu ministério sacerdotal em sua diocese natal até 1904, quando passou para a vizinha diocese de Braga, em Portugal. Por causa das perseguições políticas à Igreja em Portugal, vem para o Brasil. Primeiro na Arquidiocese do Rio de Janeiro, por trinta dias, depois, para a Diocese de Santa Maria/RS, onde foi vigário coadjutor na Paróquia de Soledade. E por fim, é nomeado Pároco de Nonoai.

Obra de
Pe. Arlindo Rubert

 

Você encontra o Livro na Livraria do Santuário Nossa Senhora da Luz em Nonoai/RS ou na Livraria da Diocese.

Av Rocha Loires, 340 - Centro, Nonoai/RS

Livraria dos Beatos em anexo a Paróquia Nossa Senhora da Luz.

Você pode encontrar muitas lembranças dos Beatos na livraria da Diocese e na livraria da Paróquia do Santuário,  em Nonoai/RS entre outros artigos religiosos.

  • Terços;
  • Bíblias;
  • Escapulários;
  • Novenários;
  • Estátuas;
  • Entre outros.

 

Aguardamos sua visita!

Av Rocha Loires, 340 - Centro, Nonoai/RS
Contato: (54) 3362-1284 -  (54) 3362-2516

 

               

DOE AGORA.

Clique no link acima para fazer uma doação espontânea.

UM PROPÓSITO, UMA ORAÇÃO FERVOROSA,

E AS BÊNÇÃOS E GRAÇAS CHEGAM ATÉ VOCÊ!

Você tem sua fé, seus motivos.

Seja grato.

Doe com amor!

Manuel, homem de fé, com bondade e paciência, soube exercer seu trabalho pastoral. Reativou o apostolado, realizou um fecundo trabalho com as crianças, abrindo uma escola gratuita. De espírito humanitário trabalhou pelo bem da cidade e do seu povo: constrói uma olaria, hotel e, com a ajuda da comunidade, construiu casas para os sem-teto de Nonoai. De preocupação inovadora, introduziu o cultivo de novos produtos junto aos agricultores de sua região. Incansável propagador da paz fez ecoar sua voz por todos os cantos: "Peço a Deus que isto que se está dando em nosso Estado cesse quanto antes e venha uma paz para ambos os partidos".(Carta ao Bispo de Santa Maria, D. Atico Eusébio da Rocha, datada de 18 de julho de 1923).

Adílio, testemunho leigo, deixou-se seduzir pelo Senhor e colocou-se a serviço de seu Altar redentor. Vítima inocente de uma época de violências mostrou sua coragem e sua fé. Um exemplo de zeloso cuidado com as coisas de Deus. Nele nossos adolescentes e jovens devem buscar a inspiração para seus ideais.

E, por fim, poderíamos dizer que "destruíram os corpos, mas continua a seiva viva do testemunho a correr nas pessoas que conheceram e que creem no projeto dos dois mártires’".

MÁRTIRES DA FÉ

Ref. Mártires da fé, intercessores do povo,/ filhos da Luz, Profetas de um mundo novo. (Bis)

1. O Grão de Trigo que na terra repousou/ martirizado por aqueles que eram seus/ perdeu a vida e vida nova se tornou,/ venceu dormindo no abraço do bom Deus.

2. O Peregrino das estradas não se cansa,/ levando a todos a mensagem de Jesus./ No coração, a força viva da esperança,/ no peito, a marca e o sinal da Santa Cruz.

3. Os céus se alegram na presença de seus servos,/ levando a Deus as nossas preces e orações/ seu testemunho e doação serão eternos,/ seu sangue gera vida em nossos corações.

4. Hoje cantamos este hino de louvor/ a Manuel e ao coroinha Adílio./ Com alegria e com todo fervor,/ Terra dos Mártires e Terra do Martírio!

Ó Deus de bondade, que Vos comprazeis em acudir as necessidades de vosso povo em atenção aos méritos dos justos,

concedei-nos, por intermédio de vossos Beatos Manuel e Adílio, que foram fiéis na terra,

testemunhando com o próprio sangue sua fé no Redentor, a graça que agora Vos peço...
Fazei que, para a Vossa maior glória e proveito dos fiéis, sejam glorificados na terra com a honra da Canonização.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Amém.
Pai-Nosso, Ave-Maria, Glória.

Sobre o Padre e o Coroinha

Aqui você encontra um Histórico da vida à Morte dos Beatos. As origens do Padre Manuel na Europa e também a origem do Coroinha Adílio no Brasil. Acesse os Menus:

Padre Manuel,

Coroinha Adílio

Terra do Martírio.

Procure também pelo livro Servos de Deus na livraria do Santuário Nossa Senhora da Luz.

Oração dos Mártires da Fé

MÁRTIRES DA FÉ

Ref. Mártires da fé, intercessores do povo,/ filhos da Luz, Profetas de um mundo novo. (Bis)

1. O Grão de Trigo que na terra repousou/ martirizado por aqueles que eram seus/ perdeu a vida e vida nova se tornou,/ venceu dormindo no abraço do bom Deus.

2. O Peregrino das estradas não se cansa,/ levando a todos a mensagem de Jesus./ No coração, a força viva da esperança,/ no peito, a marca e o sinal da Santa Cruz.

3. Os céus se alegram na presença de seus servos,/ levando a Deus as nossas preces e orações/ seu testemunho e doação serão eternos,/ seu sangue gera vida em nossos corações.

4. Hoje cantamos este hino de louvor/ a Manuel e ao coroinha Adílio./ Com alegria e com todo fervor,/ Terra dos Mártires e Terra do Martírio!